quinta-feira, 4 de junho de 2009

Sobre a missa do galo...

Queria contar pra vocês como é uma missa do Galo. Juro.Juro. Mas infelizmente não estou apta pois ainda não consegui matar o galo do vizinho. Isso mesmo. Neem veeeeem Greenpeace, se tão achando ruim vem pegar o Cocoricó pra criar. Tentei pesquisar no Google por quanto tempo esse desgraçado animal consegue cacarejar mas não achei. Deve ser porque não tem mais nenhum ser humano que more numa cidade (leia-se: área urbana) e que esteja sendo incomodado por uma criatura do inferno ao mesmo tempo. Nos EUA um adolescente compra arma online e massacra um colégio. Mas eu, uma mulher sem problemas psicológicos (passei no Detran... \o/)e que tudo que quer na vida é ter um rifle dormir até as 06:15 - ao invés de acordar 04:45 - não consegue nem calar um exú de 40 cm. Acho que vou mudar. É isso. Galo 1, Lana 0.

Por enquanto vou sonhando com a missa do galo, se der tempo né? Porque acordando às 04:45...

Frango bom é frango frito!

6 comentários:

J. disse...

Lana...sou biólogo e tenho uma dica boa pra vc, já q tá dificil arrumar uma arma: pega no pescoço do galo perto do cranio segurando firme com o dedao. gira como se vc tivesse querendo arremassar esse galo a 200km de distancia [e vc quer!]...pronto! kkkkkkkkkk

GLaucinha disse...

super adoreiiiiiiiii!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
área urbana x criatura do inferno

GLaucinha disse...

pensando bem, um galo te incomoda.
Eu não consigo durmir até mais tarde no fds por conta da creche do vizinho. O que Piter Singer diria?! Preservar a vida do galo ou dos pestinhas do vizinho?

Paulinha Valquíria disse...

Pô, eu sou a única do time do galo?!?!
Galooooo eooooou!!!!

Bárbara disse...

Lana do céu, por incrível que pareça... Estava eu, na madrugada do dia 30, às 5 e tantas da matina, tentando pregar os olhos... Foi quando eu ouvi o cacarejar de um galo cantante! Lembrei desse post na hora! Dá pra escutar daqui de cima. hahaha (Só pra deixar claro, nas férias troco o dia pela noite. =P)

Marcos Alves Lopes disse...

fiquei pensando sobre o politicamente correto. E, lendo os comentários, gostei da sugestão do seu amigo biólogo. Talvez o politicamente correto seja viver com qualidade...


abraços!